MARILDA POETA


Por Cláudio Fajardo


Ela ensina as palavras a falarem
Ela ensina as palavras a amarem
Ela ensina as palavras a andarem


Soltam-se e andam sozinhas
andam pela vida,
vão pelas ruelas,
pelas estradas de chão,
pelo fim do caminho.




Amam no Largo da Ordem
Soltam-se dos dicionários
Animam-se, animam
Animam o animal homem,
Mulheram a vida.


Recebi essa homenagem do ilustre paranaense Cláudio Fajardo, atual diretor da Biblioteca Pública do Paraná. Um homem ligado à luta revolucionária, professor universitário, critico, poeta e amante dos livros. Para conhece mais a história dessa figura que marcou e marca a história do Paraná leiam uma entrevista que ele concedeu ao Thadeu Wojciechowski :
http://polacodabarreirinha.blogspot.com/2005_09_01_archive.html
e acessem seu blog: http://blogdofajardo.wordpress.com/

Eu fiquei muito emocionada com o poema e só depois de três dias, consegui me distanciar do alvo e lê-lo como como se não fosse dedicado a mim, sentindo a força da palavras, a beleza das metáforas, a contrução inteligente e sensível do poema. Como eu disse ao Mauro Barbosa, eu nem sabia que o Fajardo me sabia... É provável que ele nunca leia esse comentário agradecido, mas isso não importa. Meu carinho e admiração por ele é eterno.

http://blogdofajardo.wordpress.com/
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...