Sonia Godoy - 16/09/1948 – 31/03/2011

SONIA MARIA FERREIRA DE GODOY, paulista, poetrixta maior, amiga, minha grande incentivadora, assim se definia:
"Sou uma psicóloga que não respeita limites e que, quase sem vergonha, se aventura em todos os campos do trabalho e das artes. Escrever é paixão pela palavra, pelo texto que organiza desorganizadamente o interior inquieto e rebelde".
O poetrix acima, é para mim uma oração, um mantra. Invoco-o sempre.
Deixo aqui, algumas pérolas de autoria da Sonia Godoy que coletei ao longo de uma dezenas de anos, postados modestamente no grupo do MIP - Movimento Internacional Poetrix. 

ALGUNS POETRIX DE SONIA GODOY


sou da tribo


de um poema menor
menormenormenor
enorme
 
ora, palavra!

ora devora
ora aflora
hora aurora
 
No ônibus

Fala sozinho.
Conta nos dedos.
Não tenha medo - é poeta.
 
tercetos insólitos

Alcoólico, quebro pés,
em versos assistólicos.
Apostólico, vicio.
 
autorretrato

ah, tantas releituras
que perdi
o original

gotas de sabedoria

tudo passa
como tanque
na praça da paz

 

perspectivas

passar os anos
feito subir montanha:
tudo fica tão pequeno...


bom de história

que todas as guerras usem
somente as armas químicas
que Bush achou no Iraque
 

do oitavo andar
  
em queda livre,
decide:
nunca mais, nunca mais.
 

nem toda mulher

mas todos que batem
gostam
de sofismar
 
amputado

por que ainda dói
esse amor
que já não sinto?

 pequeno romance

era um amor tão pequenino
mas tão delicado mesmo
que durou sutil e doce - apenas a vida toda

contracultura bró

os big
com trastes
trans agridem
 

alegria de natal

gavetas abertas, cds espalhados
toalha molhada na cama
o filho – presente
 
quântica

malcriada
gozou o efeito
antes da causa


na corda bamba

às vezes choro sua falta
outras tantas
caio no samba

Fumante

Gastar versos com fumo - vício solitário?
Melhor saber por que cheiras diesel,
comes plástico e tens tão pouco prazer.

 

Gracias!

Depois de certa idade,
a vista fraca não separa
pecado de moralidade.
 


Fractais

Ah, por quais cristais de pedra
teu olhar me filtra e quebra
em cópias iguais a ti?
 
Lavoura (nerudando)

Deita-me tua poesia
como grãos de trigo.
Tórrida, versejarei.
 
 
Domingos

Que gritem faustos faustões.
Já vendi a alma –
à poesia


espelho velho (e bobo)

mas quando foi
que esse espelho
entortou?
Nietzscheniando I

Canto o lamento do mundo,
por quem sustenta a luxúria da arte,
enquanto janto à la carte.
 
você diz o que quer

mas eu decido
se foi promessa
ou ameça
 
lua

crê,
sente,
a cheia virá.
 

sugar free

low fat, diet chiclete
no salt, be slim
morreu aos dezessete

 
não

me leve a mal
preciso de uma dose
que seja letal

Sonia Godoy
Vai... vá lá amiga! Vai ensinar poesia pros anjos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...