Apurando os sentidos - em Itapuã


Manhãs têm gosto de orvalho.
Pequenos Quixotes lutam contra ondas de espuma. 
Crianças: adultos ensaiando tsunamis.

A tarde tem cor de sol.
Garotos pedalando na orla curvilínea. 
Adolescentes: homens ensaiando amor com suas magrelas.

A noite tem cheiro de vento.
Enamorados ensaiam pecados nos muros. 
A noite ilumina plânctons no mar. 
O amor fluoresce no escuro.


Bienal 

Muita gente falando ao mesmo tempo
e as palavras - mudas
presas nos livros.



Praça da Poesia

Primeiros estranhamentos: Jovens poetas manoeldebarrosando insignificâncias.
Últimos entranhamentos: Velhos poetas ainda buscando significados nos signos.


Entrevista com escritores
O crítico responde, embasa, enaltece, explica e disseca a palavra como se fosse rã.
O poeta se esconde, engasga, emudece, extirpa e seca suas tripas como se fosse lã.

(Marilda Confortin - 10ª Bienal do Livro - Salvador - BA - 11/11)
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...