Doismil&sempre

por José Geraldo Neres - SP
 
caboclo caminha na mata de onde venho
senta-se na grama da infância
catavento de ervas
trovão cachoeira machado
o silêncio não acorda
um oceano separa meus braços

– pesca um pouco d’água

trago nos ossos raízes e nome
as pescarias de histórias de meu avô
abraçadas à velha casa de madeira
jacarés empalhados alimentam sonhos
nos meus olhos de barro


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...